domingo, 20 de setembro de 2009


nas tessituras de um frágil voo
eclipsado por um céu-nanquim
o menino poenta-se andorinha

3 comentários:

Kanauã Kaluanã disse...

E da ponta de uma asa
escreve-se a chuva.

Por aqui, tudo é en[canto].

Abraço.

Katyuscia.

tb disse...

Tenho sempre que pensar em que espantalho para mim não é o mesmo que para ti. :)
Aqui em Portugal chama-se aa isso papagaio de papel. espantalho é outra coisa completamente diferente.
Mas seja assim ou de outra forma, os teus poemas são sempre belos.
Beijos meus

Daniela Delias disse...

Tudo aqui é muito lindo! Parabéns pelo seu espaço! Bjos