quinta-feira, 21 de dezembro de 2006

isabel nadal

arrancou uma única página do seu caderno de desenho,
o menino
espalharam-se por todos os lados explodindo novos mundos,
as cores
e veio passaredo mergulhar vôos sob seus pés,
a forma
e veio a chuva de inverno pra despertar os grilos do jardim,
os sons
e veio o brincar correndo entre nuvens inventadas e rios sem margens,
o irmão
e veio o beijo na testa que respirava esperança nos dias por amanhecer,
o pai
e veio o abraço tenro aquecendo-o com acalentos de bons-sonhos,
a mãe
(saudade de quando era o rei escarlate e acreditava na felicidade,
o homem)

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

josé rodriguezuma faísca saltou-lhe os olhos
enquanto o outono rendia-se
às últimas folhas mortas sobre o chão
TRISTEZA
mas era entardecer
e ainda havia tantas cores
por serem inventadas
(a menina soletrou um buraco no céu:
borboletas vieram respirar)