domingo, 9 de julho de 2006


o adeus vê
a dor ao avesso
secretando nos ossos
medo
angústia
&
frio

o adeus traz
esperanças estreitas
impondo ao destino
quietude
descrença
&
poesia

(é quando a solidão
descobre
a fundura da chuva)

3 comentários:

Mayroca disse...

Amei!!!!!!!! POsso usá-lo? =] com devida autoria, lógico.

Luzzsh disse...

Eu dizendo sobre quase esperança e vc sobre esperanças estreitas. Talvez dançando palavras diferentes queiramos dizer o mesmo: se a dor tem de vir, ora, que venha. Se instale. Deite, role e doa. Mude e se vá.
Obrigada pela visita. Bjs.

Leandro Jardim disse...

Bonito isso!