domingo, 14 de fevereiro de 2010

.
a visão da primeira manhã
aos olhos de quem nasce
traz errância mais do que chão
[fonte de memórias turvas]
dá ao orvalho a beleza do sonhar
.

Um comentário:

Kanauã Kaluanã disse...

Eis minha primeira visão poética esta manhã!

Há de se ser errante para não se habituar ao chão. O orvalho sabe, por isso não finca raízes. O sonho é dos que ousam.

Um beijo.
.
.
.
Katyuscia.